Clipes & Singles: Semana 45/2013

Clipes & Singles

O calor que só aumenta já dá o recado: o ano está acabando. São as últimas oportunidades para quem deseja lançar músicas promocionais ainda em 2013. Na seção Clipes & Singles dessa semana, o destaque fica para a música alternativa, com presenças de These New Puritans, The National, Sampha, The Killers e Ty Segall, entre outros.

Sampha – Too Much

Depois de emprestar a sensibilidade de “Too Much” para o rapper canadense Drake (que a utilizou em “Nothing Was the Same”, seu último disco), o britânico Sampha decidiu lançá-la, remodelada, como um single próprio. Com uma abordagem atmosférica, entre magníficas concepções de arranjos, o artista canta a sua dor em uma canção regada a melancolia, mas altamente agradável.

The Killers – Just Another Girl

Segundo o baterista Ronnie Vannucci, o The Killers vai “dar um tempo” para que seus membros se dediquem a seus respectivos trabalhos em carreira solo. Mas, antes disso, a coletânea “Direct Hits” foi anunciada, reunindo canções de sucesso de uma carreira de mais de dez anos. Mas, além de velhos sucessos, o disco contará com duas músicas inéditas: “Shot at the Night” e “Just Another Girl”, sendo a segunda apresentada pela banda nessa semana, e que você pode conferir através do vídeo abaixo.

Woods – It Ain’t Easy

Uma belíssima música acompanhada de belas imagens. O resultado disso só poderia ser um assertivo vídeo, que traz belas paisagens da Califórnia em harmonia com os sensíveis rumos melódicos da canção, que integra o disco “Bend Beyond”, considerado por algumas vertentes da crítica musical como um dos melhores álbuns de 2012.

These New Puritans – V (Island Song)

Mesmo flertando com a música erudita de muito tempo atrás, os britânicos do These New Puritans criaram, em “Field of Reeds”, um dos registros mais interessantes de 2013. Permeado por arranjos atmosféricos, vozes arrastadas e um conceito minimalista, o disco ganha mais uma boa representação no clipe de “V (Island Song). Construído em animação, o registro audiovisual é uma convidativa aventura a uma aventura por novas texturas.

Yuna – Rescue

A malaia Yuna, um dos nomes mais emergentes da música pop, converteu seu mais recente disco, “Nocturnal”, em um ponto de evolução natural em sua carreira. Ensolarado e colorido, o clipe de “Rescue” consegue condensar não as ideias da canção, mas de todo o álbum: uma concepção graciosa de celebração. Com sua música sensível, o que se espera é que Yuna continue se tornando, cada vez mais, um nome conhecido.

Rosie Lowe – Right Thing

Um dos “movimentos musicais” mais interessantes da atualidade está na nova abordagem do R&B realizada por artistas do Reino Unido. Mais novo nome dessa turma, Rosie Lowe agarra sua música a um cenário hermético, próxima de cantoras como Banks e Jessie Ware. O clipe de “Right Thing”, lançado para promover o EP homônimo, chega para inserir Lowe em um cenário preto-e-branco característico dos doloridos rumos do pop britânico.

Destroyer – Bye Bye

O clima rural proposto pelo Destroyer em seu último álbum, “El Rito”, parece ser o conceito a ser seguido também no novo EP do grupo, “Five Spanish Songs”. Seguindo os elementos do registro anterior tanto nos versos em espanhol quanto no jogo melódico e tranquilo de guitarras, “Bye Bye” é uma canção perfeita para ter um tranquilo e relaxante fim de noite.

Metric – Synthetica

Os canadenses do Metric continuam a promover a sua nova concepção da new-wave apresentada no primeiro disco do conjunto, “Synthetica”. Para tanto, um registro audiovisual foi gravado para a faixa-título. Com muito brilho e uma concepção alucinógena de imagens, o vídeo consegue encontrar os sentimentos do álbum através de um encontro constante com a música pop.

Ty Segall – The Man Man

O Halloween pode até já ter passado, mas Ty Segall ainda está no clima do 31 de outubro. Perseguido e executado por mascarados, o músico californiano constrói mais um registro de imagens para “The Sleeper”, seu último álbum. Bem produzido, o clipe encontra na união da sonoridade acústica com a gravação visual um aspecto cinematográfico, que é explicado pelas homenagens a filmes como “Boyz n the Hood” e “American Gangster”.

The National – Lean

Depois da saga “Crepúsculo” ter apostado em nomes da música alternativa para construir a trilha sonora de seus filmes, dessa vez é a franquia “Jogos Vorazes” que vê no mundo indie o caminho certo para musicar a imagem de suas películas. E se a trilha é indie, nada melhor do que contar com uma das melhoras bandas do gênero, não é verdade? Logo, surge o The National com a canção “Lean”, em um sentindo de continuação ao que fora apresentado, ainda nesse ano, com o lançamento do disco “Trouble Will Find Me”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s