Arquivo da tag: lorde

Clipes & Singles: Semana 46/2014

Clipes & Singles

Mark Ronson – Uptown Funk

Mark Ronson, um dos produtores mais renomados da atualidade, está prestes a lançar seu quarto disco, intitulado “Uptown Special”. Na primeira faixa revelada do registro, o músico recebe o também renomado Bruno Mars para uma divertida viagem ao som do ritmo quente do funk norte-americano, um dos terrenos preferidos do cantor havaiano.

Stromae – Meltdown

Outro produtor “da moda”, Stromae, lançou uma nova canção de sua autoria… E para uma trilha-sonora “da moda”, no caso, referente ao novo filme da franquia “Jogos Vorazes”, que levará às telas a primeira parte do livro “A Esperança”. Na faixa, há ainda a participação de outros nomes de peso, como Haim, Pusha T, Q-Tip e a própria curadora da trilha-sonora, Lorde.

Charli XCX – Kingdom

Outra faixa de “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte I” é “Kingdom”, de Charli XCX. Sem sair do clima acinzentado proposto pela película – a mais melancólica da franquia até agora – a jovem cantora solta a voz em uma faixa em que ainda aparecem Simon Le Bon (Duran Duran) e Rostam Batmanglij (Vampire Weekend).

Tereza – Calçada da Batalha

A banda Tereza lançou seu último disco em 2012, mas se o verão está chegando, é hora de voltar com um novo clipe. Afinal, a música da banda é feita para as férias no litoral brasileiro. No vídeo para “Calçada da Batalha”, os membros da banda, no futuro, vão em busca de garotas usando um artifício chamado de “galada glass”. Bizarro? Sem dúvida. Assim é a banda Tereza, afinal: garantia de diversão.

Kindness – Who Do You Love

O produtor Kindness, que está com um novo álbum, intitulado “Otherness”, convidou a sueca Robyn para soltar a voz em uma de suas novas canções. No vídeo de “Who Do You Love”, construído a partir de fotografias em preto-e-branco de familiares e amigos do músico, o conceito da faixa, segundo o próprio Adam Bainbridge, é seguido a risca: uma reflexão sobre como você se identifica através daqueles que você ama.

David Bowie – ‘Tis a Pity She Was a Whore

“‘Tis a Pity She Was a Whore” é simplesmente a melhor música do Camaleão nos últimos anos. Sim, senhores: por melhor que tenha sido “The Next Day”, nenhuma faixa do aclamado disco chega aos pés desta que é apresentada no player abaixo. Nela, o veterano canta versos tristes no fundo de um sampler caseiro e futurístico, amplificando sua faceta mais experimental.

Deerhoof – Exit Only

O autor Michael Shannon duplicado, e reagindo, cada um de maneira diferente, à canção que toca? Foi essa a ideia maluca da banda Deerhoof para seu novo clipe, relativo à canção “Exit Only”. O resultado você vê no vídeo abaixo, ao som da explosão punk característica da banda.

Noel Gallagher’s High Flying Birds – Do the Damage

“Do the Damage” não estará no disco “Chasing Yesterday”, sendo apenas o lado B do single “In the Heart of the Moment”. Mas não é que o lado B é melhor que o lado A? Bem, agora é esperar o que vem por aí no novo álbum do segundo irmão preferido de Liam Gallagher, a ser lançado no segundo de dia do próximo mês de março.

Big Noble – Peg

Daniel Kessler, guitarrista da banda Interpol, decidiu se impregnar em um projeto paralelo, ao lado do produtor Joseph Fraioli, intitulado Big Noble. A ser lançado em 3 de fevereiro, o álbum “First Light” tende a apresentar uma nova faceta do músico, visto o conceito contemplativo da faixa “Peg”, a primeira do disco a ser revelada.

Azealia Banks – Chasing Time

Demorou, mas “Broke with Expensive Taste”, o primeiro álbum “de verdade” de Azealia Banks, finalmente foi lançado. Para comemorar o feito, a musicista lançou o clipe de “Chasing Time”, uma das faixas do disco, em que podemos conferir apenas um dos conceitos sonoros propagados pela habilidosa artista.

 

Clipes & Singles: Semana 45/2014

Clipes & Singles

Ariel Pink – Picture Me Gone

Ariel Pink pode até ser uma daquelas mentes insanas da música, mas negar que o cara sabe criar melodias como poucos seria totalmente insensível. Pois “Picture Me Gone” é a prova do poder de compositor de Ariel, bem como seu vídeo é mais uma constatação de toda a “estranheza” que ronda o artista.

Hundred Waters – Out Alee

A banda Hundred Waters costuma caprichar em tudo o que faz, logo, com o clipe oficial de “Out Alee”, não seria diferente. Tão hipnótico quanto a canção, o vídeo passa seus mais de quatro minutos e meio chamando brincando com a atenção do ouvinte, em um exercício ainda amplificado pelo poder encantador dos rumos sonoros. São imagens bucólicas, normais, mas que, muito bem trabalhadas, conseguem nos encantar.

Major Lazer – Vegan Vampire

Alcançando um hype até mesmo inesperado, o Major Lazer ganhará sua própria animação na TV. Um dos personagens do desenho, o vampiro vegetariano Rayland, recebe sua trilha-sonora através da participação vocal de Ezra Koenig, líder de outro grupo de vampiros – no caso, a banda Vampire Weekend.

Metronomy – Upsetter

Um vídeo estranho para uma canção estranha: assim é o clipe de “The Upsetter”, faixa integrante do mediano disco “Love Letters”, lançado nesse ano. No vídeo, um sujeito barbudo socializa com um ente formado de fungos e folhas secas, no meio de uma floresta. Alguém andou fumando gatinhos, não concorda?

Lorde – Yellow Flicker Beat

Lorde andou fazendo seus dezoito aninhos… O que ela fez? Foi correndo para a auto-escola a fim de tirar sua licença para dirigir? Que nada: ostentando seu poder, a jovem deu para si mesma de aniversário o registro audiovisual de “Yellow Flicker Beat”, canção que faz parte da nova película da franquia “Jogos Vorazes” – cuja trilha-sonora, aliás, teve a curadoria da própria neozelandesa.

Wild Beasts – Palace

A banda Wild Beasts, que teve o seu último disco, “Present Tense”, sendo bem recebido pela crítica, acaba de lançar um novo clipe: trata-se de “Palace”, no qual a banda, contanto com “participações” inusitadas, performa a canção em um fundo colorido que imita a arte de seu último disco.

The Smashing Pumpkins – One and All

Quem está produzindo o Smashing Pumpkins? Nem sei, mas gente competente não é. “One and All” nem é uma música tão ruim assim – algo raro para a banda nos últimos tempos – mas sua péssima produção trata de estragar tudo. Por isso, se você está precisando de um emprego, ligue para o Billy Corgan… Nem é necessário ter experiência para realizar um trabalho muito melhor do que ouvimos no player abaixo.

Cymbals Eat Guitars – Warning

Não, os adolescentes tocando no vídeo abaixo não são da banda Cymbals Eat Guitars; na verdade, são os integrantes da banda britânica Crosshair se passando pelo quarteto em questão, um conceito inusitado para o clipe da boa “Warning”.

Wu-Tang Clan – Ruckus in B Minor

“A Better Tomorrow”, o sexto disco do Wu-Tang Clan, mostra o renomado grupo de rap menos inspirado que outrora – porém, dizer que não há qualidade seria uma grande insanidade. Afinal, o que não é genial ainda pode ser bom, não é verdade? É isso que mostra “Ruckus in B Minor”, uma espécie de single do disco.

CHVRCHES – Dead Air

A franquia “Jogos Vorazes” sempre apresentou ótimas trilhas-sonoras, e não seria diferente no novo filme da série. Pois o hypado grupo CHVRCHES se uniu a Lorde e companhia para manter a boa qualidade que já havia apresentada nas películas anteriores: apesar de conter um clima mais obscuro, “Dead Air” contém todos os elementos que encantaram o público no disco “The Bones of What You Believe”, considerado um dos melhores do ano passado.

Clipes & Singles: Semana 40/2014

Clipes & Singles

The New Pornographers – Dancehall Domine

Divertido, colorido, estético e “estranho”. Todos esses adjetivos englobam o clipe de “Dancehall Domine”, mais novo single retirado do disco “Brill Bruisers”, lançado no último mês de agosto. A banda, experiente e ciente de suas maiores qualidades, trata de não deixar seus seguidores em vão, transformando toda a assertividade de seu último álbum em um envolvente registro audiovisual.

Cloud Nothings – Now Hear In

Não basta ter uma sonoridade fortemente ligada aos anos oitenta: a imagem também tem que estar alinhada aos conceitos do rock alternativo daquela década. É isso o que pensa Dylan Baldi, líder da banda Cloud Nothings, que vem causando barulho com sua base sonora extremamente influenciada pelos ensinamentos de Kurt Cobain. No vídeo de “Now Hear In”, o mais novo relativo ao disco “Now And Nowhere Else”, imagens Lo-Fi, que parecem retiradas de uma velha filmagem caseira em VHS, mostram um curioso personagem, vestido de forma social e com um saco na cabeça, a percorrer paisagens da Califórnia. Falando as coisas não fazem muito sentido, mas em união com a base ruidosa da canção, tudo combina muito bem.

Pharrell Williams – It Girl

Já que andou conquistando a América e a Europa, Pharrell Williams agora lança seus olhares pretensiosos para a Ásia. Com um R&B bem conservador como fundo musical, o vídeo de “It Girl” se desenvolve como uma clássica animação nipônica para um jogo de algum antigo console de video-game. Mas é marqueteiro esse Pharrell, hein? Bem… Bom pra ele.

Gram – Sem Saída

Gram, uma das bandas mais cultuadas do cenário alternativo do Brasil na década passada, finalmente está de volta às atividades. Com uma nova formação, que conta com uma nova voz, sob responsabilidade do músico Ferraz. No primeiro clipe referente a “Outro Seu”, o novo álbum do grupo, o novo vocalista é destacado, em uma tentativa (tola) de transformá-lo em um “galã alternativo”, ao melhor estilo Chay Suede. Contudo, a música até que é bacana, e o disco ensaia boa visibilidade.

Sam Smith – Restart

Parecia que Sam Smith seria em 2014 o que Lorde foi no ano passado… Rá, pegadinha do Mallandro! O primeiro álbum do jovem, “In the Lonely Hour”, acabou falhando feio – tanto que ele já trabalha em um novo disco de estúdio. Para dar um ponto final na divulgação do fraco trabalho, é lançado agora o clipe da canção “Restart”, mostrando bastidores da turnê do cantor com sua banda.

Lorde – Yellow Flicker Beat

Falando em Lorde, tem música nova da mocinha na área: se trata de “Yellow Flicker Beat”, canção que fará parte da trilha-sonora do filme “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1”. E não é que Lorde continua surpreendendo? Quem achou que a jovem continuaria agarrada aos elementos que fizeram ela alcançar aclamação absoluta em seu disco de estreia, “Pure Heroin”, acabou dando com os burros n’água. Ainda mais sombria, a cantora neozelandesa ataca com uma base sonora mais ligada à ambientação, andando mais um pouquinho para longe do “mais do mesmo” da música pop.

Tinashe feat. Blood Orange – Bet

Se não bastasse FKA Twigs para provar que o R&B está vivendo uma de suas maiores (e melhores) transformações em sua história, Tinashe surge para esquentar ainda mais o clima de “renovação”. Camadas sobre inúmeras camadas, climatizações explodindo em nossos ouvidos e moderníssimos efeitos eletrônicos formam a base de “Bet”, que ainda apresenta formidável melodia, uma performance vocal respeitável e um ótimo solo de guitarra criado por Dev Hynes, músico responsável pelo projeto Blood Orange. O álbum “Aquarius” promete.

Weezer – Back to the Shack

O Weezer está de álbum novo… O mais divertido da banda em muito tempo. O registro, intitulado “Everything Will Be Right in the End”, surge como um “renascer das cinzas”, uma retomada de um ritmo que nunca deveria ter sido abandonado. Pois, mesmo experiente, a banda soa jovem como há muito tempo não aparentava, brincando com seus próprios elementos sonoros ao não economizar no volume das guitarras. Pois “Back to the Shack” tem uma introdução tão matadora que parece vir da melhor época de Eddie Van Halen… A continuação da canção não deixa a desejar, apresentando força e qualidade melódica inegáveis.

Flying Lotus feat. Kendrick Lamar – Never Catch Me

“You’re Dead”, novo registro do Flying Lotus, desponta como um dos melhores discos do ano. Longe de soar melancólico ao abordar temas mórbidos, o álbum desperta variantes importantes sobre os sentimentos que envolvem a morte. Em um dos mais espetaculares clipes do ano (e olha que nesse quesito 2014 está ótimo), duas crianças “acordam” de seu próprio velório para dançar, libertando-se… Ritmo e rimas velozes enchem o cenário de significado, dando ainda mais poder à faixa.

Bass Drum of Death – Left for Dead

Morte de novo? Poxa, o dia de finados é só no mês que vem… Calma, agora as complexidades dos sentimentos mórbidos passam longe. No novo single do Bass Drum of Death, guitarras explodem em prol da diversão, da despreocupação. Nada de novo, mas uma energia impecável, que acaba causando uma boa impressão quanto aos rumos que o disco “Rip This” apresentará.

Live Sessions: Edição 04

Mac DeMarco em Santa Efigênia, São Paulo

Em passagem pela capital paulista, o canadense Mac DeMarco resolveu passear pela cidade na companhia do pessoal da Noisey. O resultado? Uma curiosa performance ao-vivo de “Still Together” filmada no viaduto Santa Efigênia, um dos cartões-postais da cidade.

Real Estate no David Latterman

Uma das bandas mais queridinhas do público indie nos dias de hoje, o Real Estate fez a sua primeira performance ao-vivo na TV americana no desejado palco do programa de David Latterman. A apresentação contou com a canção “Talking Backwards”, que está presente no último álbum do grupo, “Atlas”.

The Kooks na TV britânica

Como promover o seu futuro disco de forma magistral? O The Kooks te ensina. Além de estar abandonando o indie rock insosso que permeava seus últimos discos, a banda inglesa está disposta a nos surpreender: no programa de Alan Carr, os caras acabaram fazendo uma apresentação espetacular ao som de “Around Town”, contando com a participação de um primoroso coral gospel. De tão bem produzido, o vídeo poderia muito bem se tornar um clipe oficial.

Chlöe Howl na Noisey Acoustics

Uma das inglesinhas mais promissoras da música pop, Chlöe Howl, se apresentou em um terraço de um prédio, no Brooklyn, em Nova York, para a série de sessões acústicas da Noisey. Sem o turbilhão sonoro sintetizado que geralmente a acompanha, Howl entrega seu lado mais orgânico através de uma performance deliciosamente singela.

John Butler no Triple J

Em sua passagem pelo programa Triple J, John Butler, com o auxílio de sua banda, tocou uma surpreendente versão cover da estourada “Happy”, de Pharrell Williams. Vale a pena também conferir os outros vídeos da apresentação da banda, bem como dar uma vasculhada pelo canal da rádio australiana.

Nirvana no Rn’R Hall of Fame

Após ser introduzida ao Rn’R Hall of Fame, a banda Nirvana fez o seu primeiro show desde a morte de Kurt Cobain. Ele ocorreu em Nova York, e contou apenas com vocalistas femininas: Joan Jett, Kim Gordon, Annie Clark (St. Vincent) e Lorde cantaram ao lado de Krist Novoselic, Dave Grohl e Pat Smear alguns dos maiores clássicos da icônica banda de rock alternativo.

Baleia no estúdio Maravilha8

Em uma apresentação ao-vivo no estúdio Maravilha8, os cariocas da banda Baleia mostraram porque formam um dos melhores grupos da atualidade no Brasil. “Temporal” foi executada magistralmente, e às vezes você até chega a duvidar se o que você está ouvindo é na realidade uma performance ao-vivo. Essa é pra dar o play umas três ou quatro vezes.

Arcade Fire no Lollapalooza Brasil

No mês de abril tivemos aqui no Brasil, mais precisamente na cidade de São Paulo, mais uma edição do festival Lollapalooza. Ocorrido no Autódromo de Interlagos, o evento teve como grande destaque a apresentação dos canadenses do Arcade Fire, que atualmente vivem o auge de sua carreira. O show completo não está disponível no YouTube, mas no vídeo abaixo você pode conferir (ou recordar) um pouco do que Win Butler e seus pupilos aprontaram em território tupiniquim.

Ella Eyre em La Blogothèque

O pessoal lá da França sabe como produzir apresentações ao-vivo interessantíssimas… Veja a apresentação de Ella Eyre produzida pelo canal La Blogothèque e faça sua boca cair até o chão.

Live Sessions: Edição 02

A seção do blog que reúne os melhores vídeos ao-vivo do mês está de volta. Agora, mostrando as apresentações mais importantes que rolaram no mês de fevereiro, dando destaque para as performances realizadas no Brit Awards.

Pharrell Williams e Nile Rodgers no Brit Awards

No maior prêmio britânico de música, Pharrell Williams e Nile Rodgers se uniram novamente, dessa vez em um medley que contou com a famigerada “Get Lucky” e o novo sucesso “Happy”.

Disclosure, Lorde e AlunaGeorge no Brit Awards

Em uma performance que reuniu alguns dos grandes novos nomes da música mundial, o duo Disclosure se uniu a Lorde para interpretar “Royals”, e aos conterrâneos do AlunaGeorge para performar “White Noise”.

Ellie Goulding no Brit Awards

Ellie Goulding vive o seu ápice artístico. Provas foram dadas no último Brit Awards, no qual ela recebeu o prêmio de melhor cantora do ano de 2013. Na cerimônia, ela interpretou um medley de “I Need Your Love” com “Burn”.

Arctic Monkeys no Brit Awards

Mas a grande vencedora dessa edição do Brit Awards foi a banda Arctic Monkeys. Muito bem-recebido por público e crítica, o último disco do grupo, “AM”, também conseguiu conquistar os jurados ingleses, embora tenha sido pensado para o mercado norte-americano. Na premiação, eles tocaram “R U Mine”, uma das principais canções de seu último disco.

Rodrigo Amarante no La Blogothèque

Promovendo seu disco pelo mundo, Rodrigo Amarante tem recebido um reconhecimento internacional cada vez maior. Dessa vez, o músico se apresentou para o famoso canal francês La Blogothèque, performando as canções Irene e The Ribbon, ambas faixas de seu primeiro disco solo, “Cavalo”.

Sky Ferreira no Jimmy Kimmel

Cada vez mais envolvida em polêmicas, cada vez mais controversa e esquisita, Sky Ferreira parece ter encontrado um nicho onde própria sua personalidade consegue se destacar. Obscura, a cantora se apresentou no programa de Jimmy Kimmel, apresentando a faixa “You’re Not the Only One”, presente no seu primeiro disco.

CHVRCHES no Triple J

Em destaque desde o ano passado, quando lançou seu primeiro disco, o aclamado “The Bones of What You Believe”, o trio escocês CHVRCHES tem se apresentado em vários programas de rádio e televisão. Desta vez, no Triple J, o grupo apresentou uma versão intimista de “Recover”, bem como um cover do Arctic Monkeys. Vale a pena assistir.

Temples na Oüi FM

Uma das bandas estreantes mais comentadas desse início de ano tem sido a Temples, que recebeu boas críticas em referência a seu primeiro álbum de estúdio, “Sun Structures”. Por isso, a rádio francesa Oüi FM convidou o grupo para uma apresentação ao-vivo, na qual eles apresentaram a canção “Keep in the Dark”.

Arcade Fire no Jimmy Fallon

Continuando a promover seu último disco, o aclamadíssimo “Reflektor”, o Arcade Fire participou do programa de Jimmy Fallon, onde tocou o poderoso single “Afterlife” de maneira bem intimista – a não ser pelo desfecho da apresentação, quando Win Butler literalmente “vai pra galera”.

Bruce Springsteen faz covers na Oceania

Já é tradição ver Bruce Springsteen abrindo seus shows com canções de artistas da casa. Na Austrália, o grande Boss e sua extraordinária banda tocaram covers de AC/DC e Bee Gees. Na Nova Zelândia, Springsteen tocou “Royals”, da jovem Lorde.

Live Sessions: Edição 01

O título dessa nova seção do blog é auto-explicativo: se trata de uma compilação de performances ao-vivo. Nessa primeira edição, a Live Sessions explora as melhores performances desse último mês de janeiro, trazendo uma variedade de músicos, de variados estilos e de várias formas. O destaque óbvio fica para as performances que ocorreram na última edição do Grammy.

Daft Punk, Pharrell Williams, Nile Rodgers e Stevie Wonder no Grammy

Uma apresentação histórica. Na mesma noite em que o Daft Punk recebeu o prêmio de álbum do ano da academia, uma performance brilhante de “Get Lucky” colocou todo mundo na dança. Sobraram ainda espaços para trechos de canções de Nile Rodgers e Stevie Wonder.

Metallica e Lang Lang no Grammy

Outra performance épica do Grammy ocorreu quando o Metallica decidiu se unir ao pianista Lang Lang para apresentar o clássico “One”. Conseguindo alcançar o teor misterioso da canção, o pianista não decepcionou nessa performance curiosa, que apenas o fãs mais puristas (e chatos) não curtiram.

Lorde no Grammy

Outra artista que não poderia ficar de fora, de jeito nenhum, da maior premiação da música, é a neozelandesa Lorde. Grande destaque no ano de 2013, a cantora apresentou no prêmio a canção “Royals”, através da qual ela se tornou um grande sucesso mundial. Em uma performance que chocou os que ainda não a conheciam, a jovem usou um clima misterioso como pano de fundo para sua inusual coreografia.

Beyoncé e Jay-Z no Grammy

Mais um pouquinho da última edição do Grammy… Dessa vez, com o casal mais famoso da música mundial. Em parceria com o maridão Jay-Z, Beyoncé apresentou ao público a primeira performance ao-vivo de “Drunk In Love”, grande single do último disco da cantora, auto-intitulado, lançado no último mês de dezembro.

Mallu Magalhães no X Factor Português

Aproveitando que está em turnê por Portugal, Mallu Magalhães fez uma participação especial no programa X Factor, tocando a música “A Velha e a Louca”, faixa de seu último álbum, o aclamado “Pitanga”, de 2012, que calou a boca de muita gente chata por aí.

Arctic Monkeys no David Letterman

Ainda promovendo o bem recebido “AM”, os ingleses do Arctic Monkeys participaram do programa de David Letterman, e lá se apresentaram com a viciante “Do I Wanna Know?”, canção que é um dos grandes destaques do novo registro. Mais uma prova de que, definitivamente, o conjunto conquistou os gostos do público norte-americano.

Arcade Fire no Triple J

Continuando de forma certeira a promover o ótimo “Reflektor”, que figurou em segundo lugar na nossa lista dos 30 melhores álbuns internacionais de 2013, os canadenses do Arcade Fire tocaram algumas canções com novos arranjos no Triple J. O destaque fica para a versão “acústica” de “Normal Person”.

Vanguart Ao Vivo no Jardim de Inverno

O projeto “Ao Vivo no Jardim de Inverno”, do apresentador (e também cantor) Chay Suede, é uma das coisas mais legais que apareceram nos últimos meses quanto à música alternativa brasileira. Convidando amigos para tocar no jardim de inverno de sua casa, Suede aderiu a uma ideia simples, mas bastante assertiva, principalmente para aquele público que não consegue ver o show das bandas (ou músicos) que gosta e nem consegue encontrar vídeos de performances ao-vivo desses músicos em boa resolução de som e imagem no YouTube. Convidados a gravar para o canal, a galera do Vanguart surpreendeu ao tocar nada mais, nada menos, que uma canção do grupo Molejo.

Stephen Malkmus and The Jicks no Ce Soir (Ou Jamais!)

Promovendo a todo vapor seu último disco, “Wig Out at Jagbags”, Stephen Malkmus e seus companheiros da banda The Jicks se apresentaram na TV francesa, mais precisamente no programa “Ce Soir (Ou Jamais!). Aproveitando o bom resultado do último disco, eles resolveram encher a apresentação de músicas do novo trabalho, entre elas “Lariat”.

Emicida e MC Guimé no Caldeirão do Huck

Após um ano premiado, o rapper Emicida começa o ano de 2014 em alta na mídia. Após participar do programa “Altas Horas”, o músico desembarcou no programa de Luciano Huck, em parceria com MC Guimé, para apresentar ao-vivo a música “Gueto”, uma das faixas do aclamado disco “O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui”.

Clipes & Singles: Semana 50/2013

Clipes & Singles

Pelo menos musicalmente, 2013 e 2014 se fundem na mais nova edição da nossa seção Clipes & Singles. Na segunda semana de dezembro, canções referentes a trabalhos recentes e futuros se misturam em uma seleção heterogênea, mas fortemente ligada à música alternativa. Quer provas de que o indie está ditando as ordens do mundo musical? Acompanhe os vídeos abaixo e divirta-se em uma viagem por diferentes vertentes da atualidade.

Apanhador Só – Mordido

Antes que você conte outra, devo afirmar que o último disco dos gaúchos da banda Apanhador Só está não apenas entre os melhores do ano, mas entre os maiores clássicos do indie rock brasileiro. Portanto, alguma música do disco merecia um registro audiovisual, não? Comprovando que ao-vivo as coisas ficam ainda mais quentes, o clip de “Mordido”, canção que abre o disco “Antes que Tu Conte Outra”, mostra que mesmo fora do estúdio os caras conseguem captar todos os efeitos que constroem a estrutura torta (e inventiva) de sua base musical.

St. Vincent – Birth in Reverse

O ruído tomou conta da música de St. Vincent. Isso pelo menos é o que mostra “Birth in Reverse”, trazendo um conceito mais próximo do rock do que da música pop. Primeira faixa disponibilizada do futuro álbum de Annie Clark, a ser lançado ainda no primeiro semestre de 2014, a canção faz o ouvinte se deparar com um show de guitarras, amparadas em uma estrutura praticamente matemática.

Zula – Twin Loss

Cenários pouco famosos de Nova York e uma movimentação constante formam o clipe de “Twin Loss”, canção de destaque dos novatos do Zula. Faixa integrante do ótimo álbum “This Hopeful”, lançado em novembro, a canção passeia por elementos psicodélicos enquanto encara uma sonoridade tranquila, pautada no rock alternativo dos anos noventa, mas nem por isso pouco colorida, bordando em imagens um registro propositalmente atmosférico.

Kaiser Chiefs – Misery Company

Parece que o Kaiser Chiefs realmente perdeu o fio da meada. Acompanhando o resultado ruim dos trabalhos mais recentes do grupo, “Misery Company”, primeira faixa liberada do futuro disco “Education, Education, Education & War”, se agarra ao conceito sempre bem-humorado e irônico, tradicional das canções do quinteto, mas se perde em uma sonoridade pobre, em que nem o ritmo consegue soar interessante. Agora é esperar, e torcer para que as demais canções do álbum não sejam tão fracas quanto o primeiro single.

Young Galaxy – Fever

Brincando com o poder da nossa visão, o grupo Young Galaxy constrói, com as bases sonoras de “Fever”, mais um clipe relativo ao disco “Ultramarine”. Refletindo o alcance de nossos olhos, as cores e os cenários que podem (ou não) ser visualizados, o vídeo se agarra aos detalhes para dar imagens certeiras a uma canção naturalmente psicodélica.

Pixies – Another Toe in the Ocean

Embora o rápido “EP1” não tenha sido muito bem recebido pela crítica, a banda Pixies continua se esforçando para a promoção do registro. Nova música do grupo a ganhar imagens, “Another Toe in the Ocean” é retratada em animação, trazendo como protagonista Black Francis, que primeiro participa de uma corrida maluca, depois é envolvido em uma explosão de doces, se mete no meio de uma operação policial para deter um bebê gigante e, no fim, é engolido por uma baleia gigante dentro de um copo de suco. Se a música não nos remete aos gloriosos tempos da banda, o clipe pelo menos é bem divertido.

Lorde – No Better

Lorde não deve abandonar os holofotes muito cedo. Seja com a já clássica “Royals” ou com o belo conjunto de canções do disco “Pure Heroin”, a neozelandesa vem se tornando uma nova estrela da música pop. Embora não esteja presente no bem-sucedido álbum de estreia da artista, “No Better” é uma sequência de toda a atmosfera sonora plantada por Lorde, encontrando nas batidas de hip-hop e em um teor que, apesar de pop, não deixa de experimentar, uma atmosfera totalmente assertiva. Se 2013 foi um grande ano para Lorde, 2014 promete ser igualmente glorioso.

Maximo Park – Leave This Island

Com a soturna “Leave This Island”, o Maximo Park apresenta ao público mais um capítulo de seu futuro disco “Too Much Information”, a ser lançado no início de fevereiro. Mais melódica do que dançante, a música ganha nas imagens repletas de simbolismo, que discutem a velhice e a passagem de tempo, um significado mais do que especial, que alcança sem muita dificuldade o conceito suave proposto pela canção.

Rashid – Bate e Gol

Se em “Confundindo Sábios” Rashid explorou diversas nuances do cotidiano popular, não poderia faltar ao disco alguma música falando sobre futebol, uma das maiores paixões do brasileiro. Embora a canção embarque em metáforas, um jogo de futebol entre duas equipes de rappers foi gravado para a canção “Bate e Gol”. Nomes como Emicida, Rael, Kamau e, é claro, o próprio Rashid, disputam uma pelada entre amigos, em que o juiz é interpretado pelo ator Milhem Cortaz, o policial Fábio Barbosa de “Tropa de Elite”.

Stephen Malkmus & The Jicks – Cinnamon and Lesbians

E se um clipe seguir literalmente a letra de uma canção conceitualmente lisérgica, como “Cinnamon and Lesbians”? O resultado sem dúvida é divertido. Mostrando mais uma prévia de “Wig Out at Jagbags”, álbum de lançamento previsto para o início de janeiro, o veterano Stephen Malkmus e a banda The Jicks dão imagens literais a seu bem-humorado novo single, deixando, mais uma vez, bem clara a proposta noventista que será carregada pelo futuro disco.

Clipes & Singles: Semana 49/2013

Clipes & Singles

A primeira semana de dezembro é a prova de que 2013 ainda nos reserva gratas surpresas. Ano passado criticávamos Lana Del Rey, e agora nos vemos obrigados a elogiá-la… E o que falar de Julian Casablancas e seus flertes com os anos oitenta, que construíram o decepcionante “Comedown Machine”, e agora se transformam em acerto em sua parceria com o Daft Punk? Se dizem que as festas de fim de ano valem para uma renovação, aproveite os clipes e singles abaixo para renovar as suas opiniões.

David Bowie – I’d Rather Be High

O ano pode até estar acabando, mas o último disco de David Bowie, “The Next Day”, lançado ainda no primeiro semestre, continua repercutindo. Nova faixa do ótimo álbum a receber uma versão audiovisual, “I’d Rather Be High” é uma daquelas canções que se caracterizam como um single óbvio e certeiro. Melódica, reforçando a faceta naturalmente pop de Bowie, a canção encontra em imagens da Primeira Guerra Mundial um cenário melancólico para seu desenvolvimento em vídeo.

Primal Scream – Goodbye Johnny

Psicodelismo é com o Primal Scream. Musicando aspectos lisérgicos desde 1991 com o clássico “Screamadelica”, a banda de Bobby Gillespie acabou se tornando um nome claramente ligado ao mundo das drogas sintéticas. No último disco do grupo, “More Light”, a essência não é abandonada: muitas cores, drogas e melodia. Faixa que faz parte do registro, “Goodbye Johnny” recebe um vídeo repleto de referências à Andy Warhol – embarcando, inclusive, no universo das drag queens… Alguém ainda duvida da loucura que paira sobre a mente de Gillespie?

Devendra Banhart – Taurobolium

Quack! Sim, caros leitores, lá vem o pato… Ou melhor, dois patos, que vivem uma crônica pra lá de psicodélica no novo clipe do competente Devendra Banhart, lançado para a canção “Taurobolium” – última faixa do disco “Mala”. Estrelado pelos patos Mondo-T (dublado por Rose McGowan) e Gale (dublado por Banhart), o criativo vídeo se caracteriza como uma aposta interessantíssima, mesclando reflexão e entretenimento, atestando a qualidade dos clipes feitos pelo artista.

The Killers ft. Dawes – Christmas in L.A.

O natal está chegando e, com ele, chegam também as sempre tradicionais (e chatas) musicas natalinas. Nem tudo precisa ser relacionado ao Papai Noel e ao tal do “Dingobel”, não é? Cientes disso, Brandon Flowers e sua banda resolveram lançar mais um clipe, só que dessa vez com temáticas natalinas. “Christmas in L.A.”, que conta com a participação da banda folk Dawes, musica com muita sensibilidade e melodia o melancólico natal do personagem interpretado pelo ator Owen Wilson no vídeo da canção.

Lorde – Team

Talvez nenhum artista do mundo tenha tido um 2013 tão recompensador quanto a neozelandesa Lorde. Com apenas 17 anos, a musicista saiu de um completo anonimato para se tornar uma das cantoras mais famosas do mundo. Muito se deve ao single “Royals”, é verdade, mas ignorar o poder de “Pure Heroin”, o primeiro disco da cantora, seria perder a essência da proposta musical da artista. Cada vez mais aventureira e convicta da comerciabilidade de sua base musical, a artista não perde tempo, e lança, agora, mais um vídeo promocional de um single relativo ao seu álbum de estreia; trata-se de “Team”, em que ela interpreta uma poderosa rainha de um universo paralelo. Seja em um mundo fictício ou no universo pop atual, é Lorde quem dá as ordens.

Mogwai – The Lord Is Out of Control

Pelo menos musicalmente, o ano de 2014 já está sendo desenhado. Alguns álbum que serão lançados no próximo ano já começam a chamar a atenção, e um desses casos é “Rave Tapes”, oitavo disco da banda Mogwai. Estacionando na música de vanguarda dos anos setenta, mas sem deixar de soar atual, o grupo parece estar pronto para lançar um dos discos mais complexos dos últimos tempos… Afinal, entre arranjos belíssimos, vocais robóticos e uma ambientação certeira surge a ótima “The Lord Is Out Control”, mesclando guitarras e sintetizadores na medida certa enquanto, no clipe, personagens são explorados para complementar a temática da canção.

Jon Hopkins – Collider

Considerado o herdeiro de Brian Eno, o inglês Jon Hopkins sabe como explorar comercialmente os rumos não muito acessíveis da ambient music. Influenciado de forma óbvia pelas heranças setentistas de Eno, mas sabendo flertar com aspectos dançantes para fazer com que a sua música atinja o grande público, o músico fez de “Immunity” um meio termo entre o conceitual e o acessível. Quarta faixa do disco, a esquizofrênica “Collider” encontra em um assertivo vídeo o complemento natural de seus aspectos, tratando do cotidiano exagerado de uma personagem para trazer imagens à sua base musical.

Tulipa Ruiz – Like This

Com “Tudo Tanto”, Tulipa Ruiz mudou… Fugindo da “fofura colorida” de “Efêmera” ao abraçar os cenários em preto e branco, a artista construiu a afirmação de sua carreira, passando, enfim, no tão famoso “teste do segundo álbum”. Faixa mais exagerada do último disco da cantora, “Like This” ganha um registro audiovisual que inaugura o perfil oficial de Tulipa na plataforma VEVO. Estrelado pela atriz Layla Ruiz, prima da musicista, o vídeo, porém, parece destruir todos os méritos que haviam sido alcançados pela canção, que demonstra claramente a evolução lírica de Tulipa. Quel ver uma mulher dançando com uma alface? Dê play no vídeo abaixo e perca quatro minutos e meio da sua vida.

Daft Punk ft. Julian Casablancas – Instant Crush

Há algum tempo que Julian Casablancas abandonou o século XXI para viver os anos oitenta. Seja em carreira solo ou no The Strokes, o músico parece estar convicto de que o melhor caminho para sua evolução é se embrenhar na imensidão de sons sintetizados que ajudaram a construir a década mais brega da era moderna. E isso é ruim? Pelo menos “Instant Crush”, parceria de Casablancas com os agora “humanizados” robôs do Daft Punk, mostra uma boa quantidade de acertos nessa viagem ao passado. Faixa do ótimo “Random Access Memories”, um dos melhores discos do ano, a música ganha um vídeo em que a estrela é o próprio Casablancas. Transformado em uma estátua, o cantor busca permanecer ao lado da amada, uma outra estátua que “vive” no mesmo museu.

Lana Del Rey – Tropico

Enquanto Lana Del Rey lançava seu primeiro disco, “Born to Die”, e o mundo da música alternativa encontrava nela sua maior musa, perguntávamos se Lana Del Rey nasceu para brilhar ou somente para morrer na praia. Moldada em função de referências do mundo pop, a artista se mostrava como um belo produto de marketing da indústria da música, moldada para encantar os “indies”. Porém, a versão estendida do disco já havia mostrado novas facetas que fizeram com que conhecêssemos melhor a artista que estava depontando… Lana Del Rey está crescendo, e com o lançamento do aguardado curta-metragem “Tropico” isso acaba ficando muito claro. Brincando com as referências que a constroem, a artista transforma em película a sua base musical, contando com as “participações especiais” de Marilyn Monroe, John Wayne, Elvis Presley e até de Jesus Cristo. Brincando com as raízes do pecado e do amor, o vídeo faz com que a gente descubra de uma melhor forma, ainda que subjetiva, quem é Lana Del Rey.