Arquivo da tag: belle and sebastian

Clipes & Singles: Semana 47/2014

Clipes & Singles

The Kooks – See Me Now

Depois de lançar, nesse ano, clipes com roteiros elaborados tendo como fundo sonoro verdadeiras explosões pop, dessa vez a banda The Kooks resolveu investir na simplicidade: para dar imagens à tristonha balada “See Me Now”, um passeio do vocalista Luke Pritchard pelas ruas de Tóquio é apresentado. A banda estará presente na edição 2015 do festival Lollapalooza Brasil.

Skrillex – Fuck That

Outro nome confirmado do Lollapalooza Brasil 2015 é o do famoso produtor Skrillex, que lançou, nos últimos dias, seu clipe para “Fuck That”, faixa do criticado disco “Recess”. O vídeo, porém, mostra um bom resultado, trazendo ao público os descaminhos de um lutador. A ótima produção do vídeo fica por conta de Nabil Elderkin.

Belle and Sabastian – The Party Line

Absolutamente pop, o novo single da banda Belle and Sebastian, “The Party Line”, ganhou contornos perfeitos ao investir em um clipe dançante, a partir de um conceito inusitado: o mesmo roteiro é rodado duas vezes, sendo na primeira parte em preto-e-branco para, depois, ganhar muitas cores. “Girls in Peacetime Want to Dance” tende a ser o primeiro lançamento importante do próximo ano.

Wu-Tang Clan – Necklace

Você é um daqueles que cobram do Wu-Tang Clan um novo disco a altura de “Enter Wu-Tang (36 Chambers)”, a grande estreia do grupo, de 1993, e considerado como um dos mais importantes registros da história do rap? Olha, acho que é hora de rever suas expectativas, afinal, a história não é feita apenas de fatos marcantes. Em seu novo disco, “A Better Tomorrow”, o coletivo busca continuar uma carreira respeitada através de novos conceitos, que dão lugar, porém, a um número clássico do grupo em “Necklace”.

The Smashing Pumpkins – Drum + Fire

É árdua a tarefa de Billy Corgan de tentar manter o nome de sua banda em relevância após tantos anos de mediocridade. É claro que ninguém espera nenhum novo lançamento a altura dos clássicos álbuns do Smashing Pumpkins, mas um disco mais respeitável não seria de nada ruim, não é verdade? Pois bem… É o que o careca mais famoso do rock alternativo tentará fazer em “Monuments to an Elegy”, álbum que será lançado nos próximos dias. “Drum + Fire” é mais uma amostra do que encontraremos no disco.

Angel Olsen – Windows

“Burn Your Fire for No Witness”, um dos melhores discos de 2014, acaba de ter mais uma de suas faixas transformadas em clipe. Trata-se da bela e triste “Windows”, em que Angel Olsen solta sua voz angelical em um vídeo repleto de significados ocultos. A lista dos melhores álbuns do ano sai daqui alguns dias aqui no RPblogging, e Olsen certamente estará presente.

She & Him – Stay Awhile

Discos de covers geralmente são chatos, em nada acrescentando à carreira de quem o produz. Mas quando as canções são rearranjadas ao invés de simplesmente copiadas, a mediocridade tende a ser pelo menos mascarada. É o que acontecerá, ao que tudo indica, em “Classics”, disco em que Zoey Deschanel e M. Ward farão versões para velhas canções. “Stay Awhile”, faixa que agora ganha um clipe dançante e teatral (ao melhor estilo “Chandelier”), é um som de autoria de Dusty Springfield.

Beyoncé – 7/11

E não que até a Beyoncé decidiu entrar na onda dos clipes caseiros? Aproveitando o vazamento das faixas extras que estarão na versão estendida de seu último álbum, a cantora resolveu lançar um clipe para “7/11”, em que ela, junto com outras dançarinas, faz a festa em sua casa… Mas que mansão bagunçada, não?

Faith No More – Motherfucker

 Deixando o mais surpreendente pro final, temos sim, senhoras e senhores, uma nova canção do… Faith No More! E não, não estamos de volta aos anos noventa. Um novo álbum da banda será lançado em 2015, e, há poucos dias, o grupo de Mike Patton lançou sua primeira música em 17 anos, intitulada “Motherfucker”, e que você confere no player abaixo.

Anúncios

Clipes & Singles: Semana 44/2014

Clipes & Singles

Drake – How Bout Now

Drake é um daqueles caras que nunca vão ser unanimidade… Após um 2013 glorioso, em que lançou o seu o melhor trabalho (e um dos melhores discos do ano), lá vem 2014 e a infeliz parceria com Nick Minaj na tenebrosa “Anaconda”. Seria o fim de Drake? Minaj teria arquitetado a lápide do famoso rapper canadense? Felizmente, o cara mostra que há vida após “Anaconda”: apenas uma das canções inéditas liberadas para audição pelo artista, “How Bout Now” mostra uma faceta que muitos ouvintes de Drake ainda não conheciam; uma concepção, digamos, mais “experimental”. “How Bout Now” é um número fluido, até certo ponto disforme, alocando o rapper em um cenário bem mais minimalista que o habitual.

Grouper – Made of Air

Esse ano de 2014 tem se destacado por revelar gratas surpresas ao grande público… E uma dessas é Grouper, uma daquelas “bandas de uma pessoa só”, encabeçada pela musicista Liz Harris, que lançou há pouco tempo “Ruins”, considerado por muita gente como um dos melhores discos do ano até aqui. Através da bonita canção “Made of Air”, o diretor Paul Clipson costurou um registro audiovisual muito bonito, capturando e “mixando” imagens de bucólicas paisagens.

Belle and Sebastian – The Party Line

E 2015 já começou! Pelo menos na agenda de lançamentos de discos… A primeira “grande boa nova” do ano que vem tende a ser “Girls in Peacetime Want to Dance”, marcando o retorno ao estúdio da banda Belle and Sebastian. Dançante e leve, o single dá algumas amostras do que podemos esperar deste novo álbum, mantendo baixas as expectativas.

Nação Zumbi – Defeito Perfeito

Vivendo uma nova etapa de sua carreira, a histórica banda Nação Zumbi segue com o processo de divulgação de seu último disco, autointitulado, lançado nesse ano. Para o clipe de “Defeito Perfeito”, o grupo resolveu mostrar imagens de seus sempre excitantes shows.

Sharon Van Etten – Your Love is Killing Me

“We Are There” marca a evolução definitiva de Sharon Van Etten… A belíssima “Your Love is Killing Me”, certamente uma das melhores canções desse ano, é apenas uma das provas do gigante talento da compositora nova-iorquina. Agora, a canção recebe sua versão em vídeo, através da direção de Sean Durkin e atuação de Carla Juri.

Flying Lotus – Ready Err Not

Steven Ellison é um artista genial? Sim. O Flying Lotus é um dos melhores projetos musicais da atualidade? Com certeza. Seu novo disco, “You’re Dead!”, está entre os melhores do ano? Não tenha dúvida disso. E seu clipe para “Ready Err Not” é uma experiência macabra totalmente descartável? Pior que sim. Veja apenas se você tem estômago forte.

Bombay Bicycle Club – Home By Now

De volta à sanidade mental, temos uma bela inspiração para o Bombay Bicycle Club e o vídeo de sua “Home By Now”: nada mais nada menos que Stanley Kubrick e uma de suas clássicas produções, o filme “2001: Uma Odisseia no Espaço”, desbravador do gênero “ficção-científica”. O resultado ficou bem legal.

FKA Twigs – Video Girl

Como o mundo não é formado apenas por unicórnios fofinhos, voltamos às concepções mais “violentas” de vídeos. Dessa vez é FKA Twigs que nos revela um cenário descolorido e deprimente, em que a cantora interpreta a canção enquanto um presidiário é executado. Mas, diferente do vídeo de Flying Lotus, este apresenta um resultado decente: palmas para a produção de Kahlil Joseph.

Criolo – Convoque seu Buda

Uma das mais importantes vozes do rap nacional, Criolo apresenta seu novo disco, intitulado “Convoque seu Buda”, que tem a incumbência de suceder o já clássico “Nó na Orelha”. Produzido com maestria, e contando com um ótimo time de colaboradores, o disco mostra uma evolução técnica natural na carreira do rapper. A canção que dá nome ao disco é um número tradicional de Criolo, mas apresenta uma característica do rapper que só se acentua no novo disco: as rimas bagunçadas, com versos de difícil ligação.

Foo Fighters – Congregation

Em “Sonic Highways”, um probleminha é marcante: a satisfação da banda com o seu habitual. Pois “Congregation” é uma daquelas canções mais do que óbvias do Foo Fighters, e apesar de ser um single de potencial, mostra que Dave Grohl e seus amigos estão com dificuldades para renovar o som da banda – ou, pior ainda, que não estão trabalhando para isso.