Clipes & Singles: Semana 16/2014

The Black Keys – Turn Blue

Depois de apresentar, semanas atrás, a psicodélica “Fever”, o The Black Keys agora está disponibilizando a faixa-título de seu futuro trabalho, o álbum “Turn Blue”. Passeando por arpejos característicos do rock psicodélico dos anos sessenta, e mostrando que o duo sacou a boa recepção dada pelo público americano ao último disco do Arctic Monkeys, “AM”, a canção se desenvolve em grooves interessantes que se distanciam da base sonora característica do projeto. Portanto, ao que se vê, no novo álbum, novidade é o que não vai faltar.

Sky Ferreira – I Blame Myself

Sky Ferreira está longe de se estabelecer como mais um produto óbvio da música pop. Considerada uma artista promissora desde suas primeiras aparições, a queridinha do público indie acabou tornando o seu primeiro disco, “Night Time, My Time”, uma grata surpresa. Ao invés de deixar seus produtores ditarem o ritmo da obra, a cantora resolveu abrir sua alma e exorcizar seus demônios, a fim de construir um registro que escancara ao público a sua forte personalidade. Parte importante desse conceito, a canção “I Blame Myself” agora recebe contornos visuais: no vídeo, Sky vive uma fora-da-lei, que quando presa, abusa da sensualidade para tentar “subornar” a polícia. Produzido como um produto a ser apreciado pelo grande público, o clipe fortalece a imagem da artista como uma grande performer.

Parquet Courts – Sunbathing Animals

Ainda não havia provado da insanidade da banda Parquet Courts? Então chegou a hora. Depois de surpreender com a extrema energia que define os rumos sonoros de “Sunbathing Animals”, a banda volta a deixar nossos queixos caídos com um vídeo que, de tão nonsense, chega a ser interessante. No “clipe”, você verá um bichano tomando sol em frente a uma janela, e nada mais do que isso. Seja apresentado, portanto, ao conceito de “anti-vídeo”.

Lana Del Rey – West Coast

Lana Del Rey evoluiu. É claro que ainda é muito cedo para tirar alguma conclusão, mas tudo parece convergir para que a cantora construa, em “Ultraviolence”, seu primeiro grande trabalho. Na bonita “West Coast”, Lana não se curva às falhas de seus antigos singles, construindo um número de bela melodia, em que as guitarras tomam a base sonora para si. Mas o melhor de tudo é perceber que essas mudanças não comprometem a imagem da cantora, muito pelo contrário: finalmente, a artista está mostrando compreender em plenitude seu universo particular.

Swans – Oxygen

Cada vez mais entregues ao ruídos, os veteranos do Swans devem bordar em “To Be Kind”, seu novo trabalho, mais um capítulo curioso de sua carreira. Envolta na complexidade que habitualmente permeia os rumos sonoros do grupo, e mostrando um viés energético que surpreende, “Oxygen” intriga o ouvinte do início ao fim através de sua estrutura tortuosa, fazendo com que esperamos, ainda com maior expectativa, o lançamento do novo disco – que tem tudo pra ser um dos melhores desse ano.

Alicia Keys feat. Kendrick Lamar – It’s on Again

Cumprindo bem o seu papel de trilha-sonora do novo filme do mais famoso super-herói aracnídeo, a música “It’s on Again”, que reúne a cantora Alicia Keys, o rapper Kendrick Lamar e Pharrell Williams na produção, ganha imagens inseridas, obviamente, nos cenários nova-iorquinos. O grande destaque fica para a participação de Lamar, sempre inserindo às canções uma fantástica energia com rimas velozes, cruas e inteligentes.

Pharrell Williams – Here

Novo queridinho de Hollywood, Pharrell está sendo cada vez mais requisitado… sim, isso é possível. Provas? A participação mais do que incisiva do músico na produção da trilha-sonora do segundo filme da franquia “The Amazing Spider-Man”. “Here” é um número curioso, em que o produtor se entrega a uma estrutura mais melancólica, envolto por acordes de violão e piano. Uma baladona, uma daquelas canções tristes para se ouvir enquanto a chuva cai forte e o vento frio balança as árvores.

Real Estate – Crime

Com pouco dinheiro, o produtor do clipe de “Crime” resolveu apelar para uma tática estranha: colocar no outras pessoas, ao invés da banda, em troca de dinheiro. O resultado: um clipe absurdo, com vampiros skatistas. É claro que tudo isso não passa de uma brincadeira, conferindo bom-humor aos leves rumos que compõe a canção – uma das faixas de “Atlas”, o terceiro disco do Real Estate.

Marissa Nadler – Drive

Dirigido por uma das confessas influências de Marissa Nadler (Naomi Young,  do grupo Galaxy 500), o clipe da tristonha “Drive” alcança o conceito sonoro através de uma sequência lenta de imagens que tendem à contemplação. A canção é parte integrante de “July”, o último álbum da cantora, que demonstra mais uma vez a virtude de Nadler em mesclar com acerto o dream pop com a música folk.

Far From Alaska – Deadmen

Prestes a lançar o seu primeiro disco de longa duração, a banda potiguar Far From Alaska não apenas revelou uma das faixas do disco, mas também o título do trabalho, “modeHuman”, e um clipe para o single. De conceito simples, mostrando o conjunto em estúdio, o vídeo acompanha os rumos poderosos de “Deadmen”, uma canção que volta a conferir os laços da banda de Natal com um rock mais puro e clássico, mas que nem por isso deixa a desejar quanto a novidades.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s