2013: The 20/20 Experience 2 of 2 – Justin Timberlake

The 20-20 Experience 2 of 2

Por: Renan Pereira

As vendas podem explicar o lançamento de “The 20/20 Experience 2 of 2”. Só na primeira semana, o disco vendeu 350 mil cópias, um resultado que, apesar de inferior ao alcançado pela primeira parte do trabalho, já se mostra altamente rentável. Justin Timberlake já era muito rico, ficou mais um pouquinho e agora deve faturar mais uma bela grana com seu novo álbum e a turnê que inclusive já passou pelo Brasil. Ele está errado? É claro que não, afinal, poucas coisas são tão satisfatórias quanto ter um trabalho reconhecido. Mas, quando se trata de música, vender bem nem sempre é sinônimo de qualidade… Se o primeiro álbum lançado neste ano demonstrava a fácil acessibilidade em união com a evolução musical, o segundo comporta-se como um mero lançamento caça-níquel, aproveitando sobras de estúdio (algumas antigas, inclusive) para estrelar o topo das paradas musicais.

Pouca coisa na segunda parte de “The 20/20 Experience” parece-se com a primeira. Enquanto o primeiro disco rumava por uma concepção orgânica, aproveitando-se de uma grande viagem pela história do R&B para construir a evolução definitiva de Timberlake como músico, o segundo simplesmente revive ideias sintéticas que já haviam sido apresentadas em trabalhos anteriores do artista. Em “The 20/20 Experience 2 of 2” há o Timberlake atual, é verdade, mas também as versões antigas do músico: o hip hop sintético de “FutureSex/LoveSounds”, o pop melódico de “Justfield” e até os romantismos adolescentes do ‘N Sync. Em um trabalho muito fácil, uma simples repetição, Timberlake não consegue alcançar os mesmos resultados convincentes da primeira parte de sua experiência. É como se, na ânsia de vender, ele simplesmente reunisse canções não-lançadas em seus álbuns anteriores e as entregasse aos seus produtores para serem maquiadas.

Porém, não podemos ignorar os bons momentos existentes no disco. A primeira faixa é, por exemplo, um proveitoso exercício dançante: “Gimme What I Don’t Know (I Want)” é capaz de mostrar todo o talento natural de Timberlake como um show-man, bem como a competência de Timbaland como produtor. O que atrapalha o andamento de algumas canções é a a longa duração de caráter forçado, caso da segunda faixa, “True Blood”. Na necessidade de conectar o presente registro com o anterior, Timberlake e seus produtores alongam as faixas com cansativas seções de batidas, como se fosse necessário encher linguiça para conceber um álbum de longa duração. “Cabaret” nem é tão longa, mas mesmo assim parece arrastada: soando como alguma sobra de “FutureSex/LoveSounds”, a canção não consegue engrenar nem com a participação do rapper canadense Drake.

As duas melhores faixas do disco são consecutivas: “TKO” é uma concepção excitante, totalmente assertiva, encontrando-se em um cenário alocado entre “FutureSex/LoveSounds” e “The 20/20 Experience”, enquanto a formidável “Take Back the Night” parece reviver os melhores momentos de Michael Jackson. “Murder”, porém, é um verdadeiro assassinato ao bom gosto; construída sobre uma base tortuosa, capaz de irritar os ouvidos, a música pode até ser alocada entre as piores já gravadas por Timberlake… E o que dizer da participação de Jay-Z? O Mr. Beyoncé está, definitivamente, no momento menos inspirado de sua carreira.

Algumas canções do disco, claramente, poderiam soar melhores se tivessem sido melhor trabalhadas; esse é um dos perigos que se corre quando um trabalho é lançado às pressas, com pouco (ou talvez nenhum) planejamento. É provável que Timberlake, ao perceber a grande aprovação recebida por “The 20/20 Experience”, tenha decidido lançar todas aquelas gravações anteriormente rejeitadas, guardadas na gaveta, entregando-as ao público como uma falsa continuação de seu trabalho anterior. A sétima faixa, “Drink You Way”, é um claro número em que houve um atropelamento das ideias, que não tiveram tempo para amadurecer. Já, em “You Got It On”, os rumos sonoros estão tão amadurecidos que soam até envelhecidos; como poderia ser diferente, ao emprestar na cara dura as bases de “Justfield” e do próprio pop duvidoso do ‘N Sync?

“Amnesia” é uma canção que tende ao épico, em que tudo parece funcionar bem: a introdução magnífica, repleta de luxo, bem como a continuação misteriosa, que apresenta Timberlake em uma inédita concepção obscura, conseguem mostrar uma pontinha de evolução em “The 20/20 Experience 2 of 2”. Apenas o vocal estridente chama a atenção de forma positiva em “Only When I Walk”, uma canção banal, escancarando até mesmo uma produção pouco assertiva – algo raro nos trabalhos de Timberlake. “Not a Bad Thing” empresta as guitarras arpejantes do R.E.M. (ou dos Engenheiros do Hawaii) para encobrir um terreno pobre, repleto de ideias óbvias da música pop, onde o astro parece querer reviver, mais uma vez, seus “êxitos” como integrante de uma boy band. Há ainda, para encerrar o disco, a acústica “Pair of Wings”, única música do disco composta e produzida somente por Timberlake… Desnecessária, a faixa escondida só mostra que, além de interpretar suas versões antigas, o cantor sentiu-se à vontade para tentar se tornar uma versão estadunidense do Michael Bublé.

Excluindo os resultados das paradas musicais, “The 20/20 Experience 2 of 2” é uma obra totalmente irrelevante; ao contrário da primeira parte do projeto, que procurava demonstrar o crescimento de Timberlake como artista, o segundo simplesmente estaciona nas ideias prontas, revisitando o passado vivido pelo cantor. Esperamos que esta “segunda parte da experiência” se caracterize como um trabalho perdido na discografia do astro, e que, em seu próximo lançamento (que poderá demorar bastante), Timberlake reencontre o bom caminho da constante evolução.

NOTA: 5,0

Track List:

01. Gimme What I Don’t Know (I Want) (Timberlake/Mosley/Harmon/Fauntleroy) [05:15]

02. True Blood (Timberlake/Mosley/Harmon) [09:31]

03. Cabaret (Timberlake/Mosley/Graham/Harmon/Fauntleroy/Jones) [04:32]

04. TKO (Timberlake/Harmon/Fauntleroy/White) [07:04]

05. Take Back the Night (Timberlake/Mosley/Harmon/Fauntleroy) [05:53]

06. Murder (Timberlake/Mosley/Carter/Harmon/Fauntleroy) [05:07]

07. Drink You Away (Timberlake/Mosley/Harmon/Fauntleroy) [05:31]

08. You Got It On (Timberlake/Mosley/Harmon/Fauntleroy) [05:55]

09. Amnesia (Timberlake/Mosley/Harmon/Fauntleroy/Jones) [07:04]

10. Only When I Walk Away (Timberlake/Mosley/Harmon/Fauntleroy/Minghi) [07:05]

11. Not a Bad Thing (Timberlake/Mosley/Harmon/Fauntleroy) | Pair of Wings (Timberlake) [11:28]

Anúncios

Uma opinião sobre “2013: The 20/20 Experience 2 of 2 – Justin Timberlake”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s