1990: Pills ‘n’ Thrills and Bellyaches – Happy Mondays

A banda Happy Mondays, além de seu nome quase utópico, nos oferece um pouco do melhor de um som bem característico de uma época. É provável que o leitor já tenha ouvido falar de bandas como New Order e The Stone Roses, crias da cidade de Manchester, na Inglaterra, e que faziam um som que mesclava indie rock, psicodelismo e dance music. Pois bem, é desse grupo de bandas que sai o Happy Mondays, fazendo um som característico de uma vertente chamada “madchester”, um trocadilho feito com a cidade natal destas bandas; pode-se dizer que é um dos primeiros encontros do rock com a música eletrônica, fazendo com que o rock alternativo começasse a ter espaço em casas de dança (antes somente restritas à dance music, como o house, na época, ou mais antigamente a disco music).

É verdade que, nos dias de hoje, tal mistura de sons pode ser considerada ultrapassada, e não haja tanto interesse pelo som madchester. As interações rock/música eletrônica evoluíram, acompanhando a própria evolução da tecnologia, e as músicas do final dos anos oitenta e do início dos noventa causam estranheza aos ouvintes de música moderna. Claro que naquela época os sintetizadores já não eram nenhuma novidade, mas fazer uma mistura completa entre rock e dance music era algo relativamente novo – e atraente aos ouvintes; hoje em dia tal mescla é facilitada, e deve-se muito às bandas de Manchester o desenvolvimento tanto do rock alternativo inglês (sendo um dos pilares do britpop noventista e do fervor indie no início do segundo milênio) quanto da própria dance music (é difícil ver um DJ que não cite o New Order como uma grande influência).

Deve-se dizer, também, que muita porcaria foi feita com sintetizadores nos anos oitenta, e em sons bem menos corajosos que os das bandas madchester. Mas as coisas devem ser separadas: muita gente utilizou efeitos eletrônicos somente como enfeite, numa tentativa de se tornar mais moderno, mais atual; mas o madchester era propriamente o moderno, era o atual, e o eletrônico não era só um enfeite, mas sim um dos três pilares de sua música. Tal separação também é capaz de distinguir quanto a qualidade e importância.

“Pills ‘n’ Thrills and Bellyaches” foi lançado no auge da carreira do Happy Mondays, e nos últimos suspiros do madchester. No ano seguinte, o grunge começaria a fazer muito sucesso, sendo o carro-chefe do rock alternativo; mais tarde viria o britpop, se tornando uma febre na Grã-Bretanha, e aos poucos o madchester foi desaparecendo das rádios e casas noturnas. Bem, como justamente se trata de um dos últimos êxitos do estilo, o álbum trazia um som já fortalecido, concreto, que passara por todas as evoluções e se encontrava pronto; a produção também havia evoluído bastante em relação aos primeiros trabalhos do New Order, bem como a própria ideia do estilo, e o Happy Mondays se encontrava com todas as condições para fazer um grande álbum – e não decepcionou.

A dance music, hoje em dia, vê a promíscua Ibiza como o centro mais quente do gênero; a criação da ideia dessa dance music moderna é tida pelos especialistas justamente na primeira faixa do “Pills ‘n’ Thrills and Bellyaches”, a ótima “Kinky Afro”, que foi sucesso até nos Estados Unidos; a música é um grande legado, uma grande evolução ao tratamento de sintetizadores e à própria interação rock/dance (com seus ótimos riffs sobrevoando os ares de um ritmo bastante elaborado). “God’s Cop” apresenta novamente  um espetáculo de riffs em meio a um som eletrônico, hipnotizante, com cuidado especial ao dançante ritmo, e com um refrão bastante competente. “Donovan” inicia-se misteriosa, com uma linha de baixo acompanhada por efeitos eletrônicos, que logo se vê acompanhada por um calmo som de gaita; é mais uma canção em que os riffs se comportam muito bem, com uma estrutura hipnotizante, proveniente das influências psicodélicas do gênero.

A quarta, “Grandbag’s Funeral”, é mais um dançante show de riffs; deve-se também ser levado em consideração o vocal estridente de Shaun Ryder, sempre competente e se encaixando perfeitamente à estrutura das músicas. Com bastante qualidade, caprichando muito nos arranjos e no ritmo das canções, o Happy Mondays criou uma atmosfera sonora competente, onde as letras, mesmo não tão incríveis, formam uma base sólida para o som hipnotizar. “Loose Fit” é mais misteriosa, “Dennis and Lois” mais easy-listening, mas dão continuidade à ideia central do álbum, com muita consistência.

“Bob’s Yer Uncle” tem uma veia mais acústica, e a mistura de violão com o dançante ritmo eletrônico formou uma atmosfera muito interessante, e, acima de tudo, agradável aos ouvidos. A oitava é “Step On”, mais um sucesso da banda, que na verdade é um cover de “He’s Gonna Step On You Again”, do sul-africano John Kongos; o destaque fica para o ritmo sensacional, extremamente dançante, mas as guitarras estão lá, sempre dando um diferencial.

Se tem uma música que fica abaixo das demais no álbum, esta é “Holiday”, que não deixa de ter suas qualidades, principalmente no ritmo, mas é bem menos atraente ao que se ouvia desde a primeira faixa. Mas a canção não chega a ser uma grande escorregada, e o “Pills ‘n’ Thrills and Bellyaches” se mostra muito consistente, acertando na mosca (ou muito perto disso) praticamente do início ao fim. “Harmony” é a ultima, mais calma, relax, e fecha o álbum com brilhantismo, com grandes execuções de sintetizador e guitarra.

Vale a pena ouvir “Pills ‘n’ Thrills and Bellyaches”, mesmo que o leitor não tenha se identificado muito com madchester. Acima de tudo, o álbum demonstra uma consciência musical grande, é uma aposta firme e certeira, e mantém a qualidade e o foco do início ao fim. Tem grandes êxitos na interação entre música eletrônica e guitarra, e o ritmo é tratado de forma muito especial, feito para dançar.

Ora, de dançar quase todo mundo gosta, e boa música é sempre uma agradável massagem aos nossos ouvidos. Então, para exercitar e fortalecer ouvidos e músculos, uma boa dose do “Pills ‘n’ Thrills and Bellyaches” é uma boa recomendação.

NOTA: 8,7

Track List: (todas as faixas creditadas a Happy Mondays, exceto a 7 e a 8)

01. Kinky Afro [03:59]

02. God’s Cop [04:58]

03. Donovan [04:04]

04. Grandbag’s Funeral [03:20]

05. Loose Fit [05:07]

06. Dennis and Lois [04:24]

07. Bob’s Yer Uncle (Happy Mondays/Osborne/Oakenfold) [05:10]

08. Step On (John Kongos/Christos Demetriou) [05:17]

09. Holiday [03:28]

10. Harmony [04:01]

Download

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s