1999: Los Hermanos – Los Hermanos

A banda brasileira de rock alternativo Los Hermanos surgiu como surgiram a maioria de suas bandas contemporâneas: a partir de um grupo de amigos que estudavam em uma faculdade conceituada, e não enfrentavam dificuldades financeiras. E realmente o som da banda reflete um pouco a origem de seus integrantes, visto que se trata de um som muito mais “culto” do que realmente “popular”. Mas, mesmo assim, a banda saboreou um bom sucesso já no seu álbum de estreia.

O Los Hermanos começou a aparecer no cenário underground carioca, influenciados pelo som de bandas como Weezer e Mr. Bungle. Logo chamaram a atenção, e ao assinarem um contrato com a Abril Music, veio a oportunidade de gravar o primeiro álbum de estúdio. Este acabou levando o nome da banda, e surpreendeu pelo sucesso, principalmente com as faixas “Anna Julia” e “Primavera”, que alcançaram êxito comercial em todo o país.

Apesar de conter dois grandes hits, o álbum “Los Hermanos” se caracteriza, em sua grande parte, por uma sonoridade pouco comercial, flertando com hardcore, ska e marchinhas de carnaval, e com letras ao estilo Jovem Guarda. Uma mistura bem maluca, mas que deu certo, visto que até hoje este é o trabalho mais vendido da banda.

A baixa convencionalidade do álbum já se mostra na primeira faixa, “Tenha Dó”, em que a banda reúne uma pesada linha de baixo, um saxofone, elementos de ska e hardcore, e uma letra que poderia muito bem ter sido feita por Roberto e Erasmo nos anos sessenta. “Descoberta” segue a linha da faixa anterior, porém soando com uma musicalidade ainda mais diferente. Apesar de estranha, essa linha musical tomada pelo Los Hermanos em seu primeiro álbum soa bem, deixando passar longe algum resquício de desconexidade.

A terceira faixa, porém, acaba se mostrando bem mais radiofônica; se trata da famosa “Anna Julia”, uma baladinha muito bem feita, que reúne elementos do rock sessentista, aclamada pelos críticos e pelo público em geral, sendo até hoje a música mais famosa da banda; ela recebeu a atenção, inclusive, de monstros sagrados do rock, como de Jim Capaldi e de George Harrison, que inclusive regravaram a canção. É uma música que, na verdade, reflete pouco do que é a banda, visto que se trata de uma canção radiofônica, e foi incluída no álbum mais por pressão da gravadora do que pelo próprio desejo da banda.

O álbum é feito basicamente de composições de Marcelo Camelo, mas também há duas composições de Rodrigo Amarante; uma destas é a quarta faixa, “Quem Sabe”, que volta a tratar daquela mistura das duas primeiras faixas do álbum. A carnavalesca “Pierrot” é uma inusitada marchinha-rock, que apesar de soar realmente estranha, é uma aposta válida, que pode acostumar o ouvinte após algumas audições. Já, “Azedume”, mistura a melancolia e o ritmo dos sambas mais conceituados com um instrumental pesado, se mostrando como mais uma faixa interessante do álbum “Los Hermanos”.

“Lágrimas Sofridas” é mais uma música com letra simples, novamente com um instrumental inconvencional, mas que especialmente, nesta faixa, não soa muito bem. “Primavera” é uma música ótima, e o outro grande sucesso do álbum, se assemelhando muito mais à MPB, já mostrando um pouco do que seriam os próximos trabalhos do Los Hermanos. Já, “Vai Embora”, é uma canção mais densa e mais pesada, que contém boas variações, contando novamente com uma letra minimista.

“Sem Ter Você” apresenta um bom ritmo, e se caracteriza por ser a canção do álbum que mais se assemelha a um ska-punk. A seguinte, “Onze Dias”, é uma canção com ar obscuro, melancólica, com um instrumental que lembra muito ao da banda Weezer, uma das grandes influências do Los Hermanos. “Aline”, a décima-segunda do álbum, é mais uma faixa que aposta em riffs pesados e em velocidade, mostrando claramente o lado hardcore do início da carreira da banda.

“Outro Alguém” é outro ska, alternando entre momentos mais dançantes, outros mais melódicos, e outros mais pesados; contém variações interessantes de ritmo, perfazendo assim um dos pontos mais qualificados do álbum. Já, a última faixa, “Bárbara”, é a canção do álbum que mais enche linguiça, e sua aparição para finalizar o álbum se mostra estranha, por se tratar de uma das músicas mais fracas do álbum de estreia da banda fluminense.

Não é fácil misturar influências tão distintas e fazer um álbum soar bem; e a banda Los Hermanos conseguiu. Se passa longe de ser um trabalho espetacular, inclusive ficando abaixo dos demais álbuns da banda, é uma estreia válida, com uma aposta musical diferente e algumas músicas bastante interessantes, nas quais são incluídos os singles de sucesso.

“Los Hermanos” foi a porta de entrada para uma das melhores bandas brasileiras das duas últimas décadas, e alavancou comercialmente e artisticamente a banda que faria, na sequência, trabalhos muito consistentes, deixando de lado o ska e o hardcore para flertar mais com a MPB. Com uma mistura exótica de ritmos e estilos, Los Hermanos acabou fazendo de seu álbum de estreia um registro único em sua discografia.

NOTA: 6,7

Track List: (todas as faixas compostas por Marcelo Camelo, exceto a 4 e a 11)

01. Tenha Dó [03:27]

02. Descoberta [02:30]

03. Anna Julia [03:32]

04. Quem Sabe (Amarante) [02:32]

05. Pierrot [02:47]

06. Azedume [01:21]

07. Lágrimas Sofridas [01:47]

08. Primavera [04:22]

09. Vai Embora [02:10]

10. Sem Ter Você [02:58]

11. Onze Dias (Amarante) [01:43]

12. Aline [01:26]

13. Outro Alguém [02:30]

14. Bárbara [03:34]

Download

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s