2003: The Soul Sessions – Joss Stone

Uma inglesinha de muito talento é Joss Stone. A cada dia que passa, ela tem colecionado mais admiradores pelo mundo, e isso não vem de graça: além do imenso carisma, sua incrível voz e seu reconhecido talento musical fazem dela uma das melhores cantoras da atualidade.

Quando lançou seu primeiro álbum, em 2003, Joss ainda era uma adolescente. Não é fácil para uma garotinha dar a cara a tapas dessa forma, ainda mais quando se trata de uma garotinha inglesa e loira cantando soul. Mas talvez tenha sido essa a magia da coisa; quando se imagina mais uma garota bonitinha cantando um teen pop qualquer, Joss surge com um repertório afiado.

“The Soul Sessions” não é uma produção grandiosa. É um álbum de covers, e em nenhum momento se mostra muito pretensioso. Talvez sua maior intenção seja justamente apresentar a inglesinha loira arrasando na soul music, contando com a ajuda, é claro, de ótimas faixas, muito bem selecionadas. “The Chokin’ Kind”, originalmente gravada por Waylon Jennings, abre o álbum, já deixando à mostra a incrível qualidade vocal de Joss, com uma voz doce e poderosa, que não necessita de firulas para chamar a atenção. “Super Duper Love (Are You Diggin’ on Me?) Pt. 1” é mais conhecida, pois foi a faixa do “The Soul Sessions” que mais tocou nas rádios; é uma música muito agradável, com uma impecável interpretação de Joss, que além de poderosa, se mostra bastante sincera e ciente do que fazer.

“Fell in Love With a Boy” é uma música legal do White Stripes, mas a versão de Joss acabou não se desenvolvendo muito bem; a tentativa de se fazer uma versão crua e retrô para a canção foi infeliz, fugindo muito do que se possa imaginar de um cover de uma banda de rock alternativo; esta é, aliás, a única faixa do álbum que foge da soul music dos anos 60 e 70, e poderia muito bem ter sido deixada de lado. Em “Victim of a Foolish Heart” , é dado o retorno ao soul tradicional, que a partir de agora, felizmente, se mantém até o fim do álbum; a música é mais uma aposta bem realizada, onde a performance de Joss é de uma impecável sutileza, oferecendo realmente o que a canção pede.

Feeling é o que não falta à quinta faixa, “Dirty Man”, uma canção simples, mas arrebatadora; apenas a ótima voz de Joss, uma melódica guitarra e um violão, fazendo um espetáculo. Segue “Some Kind of Wonderful”, onde a grande maravilha é, novamente, a certeira interpretação vocal de Joss, que com muita naturalidade, acaba soando como uma cantora bastante experiente, segura e competente. “I’ve Fallen in Love with You” contém uma produção que se afasta da simplicidade das demais faixas, mas não é por isso que deixa de ser um número válido; apesar de um pouco mais discreta, e demonstrando alguns sinais de adolescência, Joss novamente brilha.

“I Had a Dream” é uma canção tocante, com destaque total ao belíssimo vocal de Joss; se trata de mais uma música simples e de muito bom gosto, que mantém em um alto nível de consistência o “The Soul Sessions”. “All the King’s Horses” é como uma prova final, pois se Joss poderia escorregar, seria em uma canção de Aretha Franklin; mas a cantora aceita a grande responsabilidade e performa a canção com brilhantismo e dignidade.

Fechando o álbum, “For the Love of You Pts. 1 & 2”, dos Isley Brothers, nada de muito espetacular, inclusive sequer aparecendo na lista das melhores músicas do álbum, mas bastante válida, ainda mais quando se trata do encerramento de um álbum de uma garota que só estava começando. Isso, é claro, deve ser levado em consideração na análise do “The Soul Sessions”, pois o maior êxito de Joss no álbum foi, justamente, não soar como uma estreante.

Como Joss não chamaria a atenção, com um álbum tão caprichado? Apesar de simples e pouco audacioso, o “The Soul Sessions” ousa ao oferecer a uma jovem cantora um repertório de tamanho bom gosto. E o bom resultado das gravações só vem a escancarar o imenso talento da inglesinha, que a partir daí, começaria a colecionar elogios da crítica e do público. O álbum foi a aposta certa, na hora certa, e para a cantora certa. Um digno início de discografia.

NOTA: 7,5

Track List:

01. The Chokin’ Kind (Harlan Howard) [03:35]

02. Super Duper Love (Are You Diggin’ on Me?) Pt. 1 (Willie Garner) [04:20]

03. Fell in Love With a Boy (Jack White) [03:38]

04. Victim of a Foolish Heart (Charles Buckins/George Jackson) [05:31]

05. Dirty Man (Bobby Miller) [02:59]

06. Some Kind of Wonderful (John Ellison) [03:56]

07. I’ve Fallen in Love with You (Carla Thomas) [04:29]

08. I Had a Dream (John Sebastian) [03:01]

09. All the King’s Horses (Aretha Franklin) [03:03]

10. For the Love of You Pts. 1 & 2 (The Isley Brothers) [07:33]

Download

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s