2011: 21 – Adele

Temos aqui um dos melhores álbuns pop dos últimos tempos. Adele é uma jovem inglesa com muito talento, e uma voz que consegue soar poderosa e bela ao mesmo tempo. Sem dúvida, ela é uma das grandes revelações da música mundial, e um nome que começa a colher seus frutos: vem sendo sucesso de crítica e público.

O pop eletrônico, que vem inundando nossos ouvidos durante esses últimos anos, até tem as suas qualidades, cuja principal com certeza é o potencial dançante. Mas é bom ver um álbum no topo das paradas que traz um som de melhor gosto. O “21” tem principalmente influências de soul e R&B, mas ali e acolá podemos perceber pitadas de blues, rock, jazz e disco music.

O álbum já começa com seu single de maior sucesso, “Rolling in the Deep”, que ainda em 2011 já começa a soar clássica; é uma música que vai crescendo na medida que o tempo vai avançando, com fortes influências de soul; contém um refrão matador, e uma produção muito bem feita, encaixando perfeitamente os backing vocals aos versos cantados por Adele. A segunda faixa, “Rumour Has It”, tem uma introdução esquisita, e realmente se trata de uma música um pouco exótica; mas que cresce absurdamente depois de uma grande variação, ao som clássico de piano.

“Turning Tables” é uma faixa poderosíssima, uma belíssima power-ballad ao som de piano, na qual Adele sente-se bastante à vontade, interpretando com todo sofrimento e tristeza que a música pede. A semi-acústica “Don’t You Remember”, com influências blues, é mais uma bela canção, perfeitamente interpretada pela inglesinha. Segue então a sexta, “Set Fire to the Rain”, com um clima todo melancólico, com o piano novamente como principal elemento do instrumental; o refrão dessa faixa é especialmente forte, com Adele alçando altas notas.

“He Won’t Go” é menos densa, uma faixa de um pop mais clássico, com influências de blues e jazz, onde a qualidade instrumental é um ponto forte. “Take It All”, a sétima faixa do “21”, é outra power-ballad perfeitamente interpretada por Adele, onde sua voz acaba soando doce e potente ao mesmo tempo – qualidade rara, até mesmo entre as grandes intérpretes.

“I’ll Be Waiting” é uma música mais animada, com pegada soul e elementos de jazz (basicamente, influenciada pela música negra americana). “One and Only” é outra música feita para a voz de Adele brilhar; é basicamente um blues, com pouco ou quase nada de pop.

A penúltima do álbum, “Lovesong”, é um cover da banda “The Cure”, que na versão de Adele ganha uma nova e muito competente roupagem. Para encerrar, a bela “Someone Like You”, somente com voz e piano, mostrando como que, se bem feita, a música pop ainda pode encantar.

No link abaixo, você encontra para download uma Deluxe Edition do álbum, com algumas faixas bônus, incluindo versões ao-vivo.

NOTA: 8,7

Track List:

01. Rolling in the Deep (Adele/Epworth) [03:48]

02. Rumour Has It (Adele/Tedder) [03:43]

03. Turning Tables (Adele/Tedder) [04:10]

04. Don’t You Remember (Adele/Wilson) [04:03]

05. Set Fire to the Rain (Adele/Smith) [04:02]

06. He Won’t Go (Adele/Epworth) [04:38]

07. Take It All (Adele/White) [03:48]

08. I’ll Be Waiting (Adele/Epworth) [04:01]

09. One and Only (Adele/Wilson/Wells) [05:48]

10. Lovesong (Simth/Gallup/O’Donnell/Thompson/Tolhurst/Williams) [05:16]

11. Someone Like You (Adele/Wilson) [04:45]

Download

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s